Durante a Conferência Internacional da Indústria da Saúde, em Paris, Gilda de Souza falou dos rumos das políticas que estão sendo implementadas no Brasil, levando à desresponsabilização do Estado sobre os serviços públicos

Com informações do site da CNTU

Gilda Almeida de Souza, durante conferência, em Paris, da indústria de saúde

A presidente em exercício da CNTU (Confederação Nacional dos Trabalhadores Liberais Universitários Regulamentados), participou do evento representando a Federação Nacional dos Farmacêuticos (Fenafar), entidade filiada à CNTU, da qual é diretora de relações Internacionais. A Conferência em Paris, ocorrido entre os dias 26 e 28 de outubro, foi organizada pela Federação dos Trabalhadores das Indústrias Químicas e Farmacêuticas da França (FNIC-CGT) e pela Federação Sindical Mundial.

O encontro contou com a participação de 23 delegações estrangeiras, que debateram os investimentos em pesquisa de medicamentos e atenção à saúde e a estrutura da indústria farmacêutica na França e no mundo.

No segundo dia do evento, (27), a farmacêutica e dirigente sindical – também dirigente da Central de Trabalhadores e das Trabalhadoras do Brasil -, fez sua intervenção, analisando a crise econômica mundial e seus impactos no Brasil, a crise política no país, que se aprofunda, as políticas de desresponsabilização do Estado com os serviços públicos de Saúde, consignados na Constituição Federal como direito do povo brasileiro e dever do Estado. Gilda Almeida abordou também o quadro da Assistência Farmacêutica no país e o mercado de trabalho do farmacêutico, bem como o cenário de ataque aos direitos trabalhistas e sociais e a luta do movimento sindical.

“Esta Conferência foi de fundamental importância para a Fenafar e para a CTB, pois além de estreitarmos relações políticas com representações e trabalhadores de vários países ligados à saúde, conseguimos identificar os mesmos problemas, como a falta de investimentos dos governos em produção de medicamentos, a dependência externa, a mesma política da indústria farmacêutica em aumentar a cada ano seus lucros sem pensar nas pessoas. Divulgamos também o evento a ser realizado pela Fenafar em 2018, o Encontro Sindical Farmacêutico das Américas”, disse a presidente em exercício da CNTU.

Ao final do evento, ouve a aprovação da Carta da Conferência e um pronunciamento do presidente da FNIC-CGT.

Leia aqui a íntegra do pronunciamento de Gilda na Conferência.