Além do requerimento conjunto para apuração de possíveis irregularidades junto ao instituto que atende os servidores públicos estaduais, também foi aprovada a convocação de dirigente da Furp para prestar esclarecimentos sobre pagamento de propina pela fundação

A Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovou, nesta terça-feira (04/12), requerimento para que o ex-superintendente do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe), Latif Abrão Júnior, seja convidado a prestar esclarecimentos aos deputados da comissão sobre possíveis irregularidades junto ao instituto.

A proposição é de autoria conjunta dos deputados Carlos Neder e Marcos Martins, ambos do PT, que estão preocupados com uma série de problemas relacionados ao Iamspe e ao Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE).

O ex-dirigente do instituto é investigado pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MPE) por ter firmado contratos irregulares com a empresa Qualicorp causando um prejuízo estimado em mais de R$ 405 milhões para os cofres públicos.

A denúncia foi apresentada pelo MPE no início de fevereiro e desde então os deputados petistas vem tentando a aprovação do requerimento junto à Comissão de Saúde da Alesp, que finalmente deu o aval para a participação de Latif Júnior, que foi exonerado do cargo em abril, mas ainda responde pela investigação do MPE.

De acordo com o presidente da Comissão de Saúde, deputado Edmir Chedid (DEM), será expedido um convite para que ele participe da próxima reunião da comissão que deve ocorrer na semana que vem.

Também foi aprovado pela comissão outro requerimento de deputados petistas. Carlos Neder, Marcos Martins e Beth Sahão assinam conjuntamente a proposição para que seja convocado a participar de reunião na Alesp o superintendente da Fundação para o Remédio Popular (Furp), Durval de Moraes Júnior. A ideia é ouvir o dirigente sobre denúncias de favorecimento do consórcio liderado pela empresa Construções Camargo Corrêa. De acordo com reportagem da revista Época Negócios, em delação ao MPE, executivos da empresa relataram o pagamento de propina a funcionários da Furp para que o órgão controlado pelo governo paulista desistisse de uma disputa judicial em 2013 e pagasse uma indenização de R$ 18 milhões ao consórcio que construiu a fábrica de medicamentos na cidade de Américo Brasiliense, no interior de São Paulo.

 

Representantes dos trabalhadores e dos usuários do sistema dos serviços de saúde dos servidores estaduais participaram da reunião da Comissão de Saúde e o presidente da Comissão Consultiva Mista do Iamspe, Guilherme Nascimento, foi convidado a falar sobre a situação do instituto

Comissão do Iamspe na reunião

A atual situação do Iamspe e também do Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE), que enfrenta sérios problemas como a falta de médico, funcionários em geral e até equipamentos, foi apresentada na Comissão de Saúde desta terça-feira. Participaram da reunião representantes da Comissão Consultiva Mista do Iamspe (CCM) que puderam se manifestar sobre os problemas ocorridos.

O presidente da CCM, Guilherme Nascimento, relatou a situação aos parlamentares e entregou uma carta pedindo providências da Alesp sobre a situação. De acordo com ele, a queda na qualidade do serviço prestado pelo Iamspe pode ser facilmente compreendida quando analisamos os orçamentos do instituto dos últimos anos com progressivas perdas de investimento. Para 2018 a redução por parte do governo do Estado é de R$ 216 milhões, ou seja R$ 100 milhões a menos do que em 2017, informa a carta entregue aos parlamentares.