Por Vilcilene Fernandes 

Por ocasião da discussão na Assembleia Legislativa sobre o projeto do Executivo que autoriza a realocação de recursos no valor de R$ 200 milhões da Linha 6-Laranja para a Linha 5-Lilás do metrô de São Paulo, o deputado Carlos Neder (PT) questionou a privatização das linhas de metrô. O PL 79/2017 foi aprovado no dia 02 de maio pela Assembleia Legislativa, mesmo após as críticas e denúncias apontadas pela bancada petista sobre a malversação dos recursos já empenhados nas obras do metrô.

Em pronunciamento na tribuna da Alesp, por ocasião da discussão do projeto, Neder lembrou de ato assinado pelo governador, no dia 30 de março, no qual lançou um edital de concessão, que tem como objetivo privatizar a Linha 5-Lilás e a Linha 17-Ouro. Segundo o edital, o lance mínimo para privatização é de R$ 189,6 milhões, ou seja, o valor mínimo para o leilão é menor que o montante de recursos públicos autorizado pelo Legislativo para ser repassado neste momento para as obras do metrô.

O deputado ressaltou a importância de debater a questão da concessão e privatização, assim como refletir no verdadeiro motivo do poder público não utilizar adequadamente os recursos da Alesp para dar agilidade à expansão das obras do metrô, uma vez que matérias divulgadas ao longo desses últimos anos pela grande imprensa noticiam tanto o alto custo das obras da Linha Lilás do metrô quanto à vagarosidade do processo de construção. Neder citou reportagem do jornal O Estado de S. Paulo de novembro de 2015 em que apontava o encarecimento da obra da Linha Lilás em R$ 1 bilhão. “Naquele momento, quando questionada a diretoria do Metrô, a responsabilidade recaiu sobre as empresas que fizeram a análise do subsolo, inclusive dizendo que coube a uma empresa estrangeira o trabalho de analisar o subsolo do estado de São Paulo, que seria melhor realizada se assumida por uma empresa brasileira. Até mesmo uma adutora invisível foi diagnosticada como causa do encarecimento de um milhão de reais por dia”, lembrou Neder.

De acordo com o deputado, a privatização resultará em 20 anos de contrato com a iniciativa privada que será beneficiada em R$ 10,8 bilhões. Por essa razão, ele acrescentou que a bancada do Partido dos Trabalhadores (PT) ingressará em juízo para denunciar como a iniciativa privada será favorecida por esse processo de concessão.

Obras na Linha 5-Lilás ficaram pelo menos R$ 1 bilhão mais caras e agora recebem mais R$ 200 milhões, mesmo após lançamento de edital para privatização da linha

Deixe uma resposta