Por Vilcilene Fernandes

Neder sugere plano de trabalho, mas a falta de deputados nas reuniões da CPI não permite dar início à investigação

O deputado estadual Carlos Neder (PT) apresentou um requerimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre os Planos de Saúde no qual sugere o cronograma de trabalho da Comissão. Para a proposta entrar em vigor é necessária a aprovação, por meio de votação, dos membros da CPI. A reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito estava prevista para terça-feira (04/04) e, após a terceira tentativa, não se reuniu  por falta de quórum. Neder, vice-presidente da CPI, também encaminhou, no dia 14 de março, dois ofícios nos quais convidam tanto o secretário de Estado da Saúde, David Uip, quanto o secretário Municipal de Saúde, Wilson Pollara, a prestar esclarecimentos da sobrecarga que as redes públicas estaduais e municipais sofrem com a crise dos planos privados de saúde.

Diante da ausência de quórum nas reuniões da Comissão, o que impede a continuidade dos trabalhos de investigação, Carlos Neder fez um pronunciamento que o abordou o assunto. Em seu discurso, no plenário da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), o parlamentar destacou como é ruim para o parlamento estadual e para os 94 deputados a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito fantasma que não se reúne e não fiscaliza um tema importante e de interesse público, uma vez que a ausência seguida de reuniões, que são convocadas formalmente, podem levar a exclusão dos membros segundo regimento interno da Assembleia Legislativa. Neder acrescentou que irá organizar um ato de protesto na Alesp, chamando sindicatos, associações, movimentos e conselhos profissionais, com intuito de esclarecer a razão pelo qual a Assembleia Legislativa não quer apurar eventuais irregularidades cometidas pelas operadoras dos planos de saúde. “Já que a Alesp não quer investigar, as entidades vão cobrar de cada um dos deputados a sua omissão”, conclui.

Deixe uma resposta