Febre amarela, casos de contaminação por alumínio e irregularidades no Iamspe são esclarecimentos cobrados por deputados petistas e barrados por deputados da oposição. Além de cumprir com a fiscalização, parlamentares do PT também exigem que demandas dos trabalhadores sejam ouvidas na Casa

 

Deputados Marcos Martins e Carlos Neder (à esquerda na foto) querem fazer cumpri uma das funções da Comissão de Saúde na Assembleia Legislativa, que é fiscalizar e investigar possíveis irregularidades com prejuízos à saúde da população | Foto: Marco Antonio Cardelino/Alesp

A Comissão de Saúde protelou mais uma vez os pedidos dos deputados Carlos Neder (PT) e Marcos Martins (PT) para que as autoridades do governo do Estado prestem informações a respeito de diferentes ocorrências que afetam a saúde da população paulista.

Três requerimentos assinados pelos deputados petistas membros efetivos da Comissão de Saúde constam na pauta do órgão há pelo menos duas reuniões, mas não são levados a diante pelo constante pedido de vista dos demais parlamentares. Na reunião realizada nesta terça-feira (13/03), o deputado Hélio Nishimoto, do PSDB, foi o autor do pedido de vista para os requerimentos.

Um dos documentos sugere convidar o secretário de Estado da Saúde, David Uip, para participar de audiência na Comissão a fim de apresentar dados atualizados sobre o combate e a prevenção da febre amarela no estado, bem como os resultados do plano de vacinação e esclarecimentos sobre desvio de medicamentos do Hospital Emilio Ribas.

Em outro requerimento, os deputados do PT pedem esclarecimentos do superintendente do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe), Latif Abrão Júnior, sobre irregularidades apuradas pelo Ministério Público (MPE) em contrato com a Qualicorp.

O terceiro documento busca esclarecer sobre a contaminação de alumínio em tratamento de hemodiálise no Hospital Estadual Mário Covas, em Santo André. Para isso solicita a presença do diretor técnico do hospital, Alexandre Cruz Henrique, na Comissão de Saúde.

“Não querem que a Comissão de Saúde exerça o seu papel de fiscalização”, denuncia o deputado Carlos Neder. “O deputado Marcos Martins é uma referência na luta contra o amianto e agora na denúncia contra essa contaminação por alumínio. Infelizmente a comissão vai se amesquinhando, porque o nosso papel é de fiscalizar, de cobrar explicações. No momento em temos uma endemia de febre amarela no estado de São Paulo e, lamentavelmente, a adesão da vacinação está muito baixa, sendo que os casos continuam crescendo, inclusive os óbitos também, é preciso que está Comissão não se omita”, alerta Neder.

 

Reivindicações do SindSaúde

Ainda na reunião da Comissão de Saúde, os deputados governistas barraram a participação de representante dos trabalhadores públicos da saúde. Conforme havia sido sugerido pelo deputado Carlos Neder na reunião passada, a ideia era ouvir representante do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde no Estado de São Paulo (SindSaúde-SP) sobre as reivindicações dos trabalhadores referente à Campanha Salarial de 2018. “Há uma certa irritação e ação de impedir que o SindSaúde venha ao Parlamento estadual e possa apresentar dados que são importantes. Se não estão ocorrendo concurso públicos, se há muitos cargos vagos, se a remuneração e condições de trabalho são inadequadas, se falta funcionários, acho que o parlamento estadual não pode agir dessa maneira”, lamentou Neder.

De acordo com o deputado, houve o compromisso do presidente da Comissão de que na próxima reunião a diretoria do SindSaúde seja convidada a participar para discutir a questão das condições de trabalho, salariais e de atuação dos profissionais.