O arquiteto Jorge Wilheim morreu na madrugada desta sexta-feira (14) em São Paulo. Segundo a assessoria do arquiteto, ele estava internado desde dezembro do ano passado após se envolver em um acidente de carro. Com 85 anos, Wilheim dedicou 60 anos à arquitetura e ao urbanismo da cidade sendo responsável por projetos em cartões-postais da cidade de São Paulo, como na reurbanização do Vale do Anhangabaú e do Pateo do Collegio.
Para o deputado estadual Carlos Neder, Jorge era um grande amigo além de ter sido amigo e companheiro de seu pai Alberto Neder no então Partido Comunista Brasileiro (PCB).

“ No final do ano participou com brilho e coragem do ato que organizei contra a fusão e extinção das fundações publicas estaduais Seade, Cepam e Fundap. Grande cidadão e profissional”, disse Neder.

 “A proposta do governo foi precipitada é uma forma “canhestra e atrasada” de responder “à voz das ruas”, afirmou Wilheim.

Jorge Willheim esteve na Audiência Pública que disse não a fusão das Fundações estaduais

A ministra da Cultura, Marta Suplicy, de quem Wilheim foi Secretário de Planejamento divulgou uma nota oficial em que cita seus laços pessoais com o urbanista. O texto da nota diz: “Faleceu Jorge Wilheim, grande homem público e idealizador de uma São Paulo melhor. Amigo pessoal. Obrigada, por tudo”!
Além de secretário de Planejamento na gestão de Marta, Wilheim desempenhou outros cargos públicos, onde desenvolveu projetos e atividades importantes para São Paulo. Também foi Secretário de Economia e Planejamento do Estado de São Paulo, na gestão do governador Paulo Egydio, Secretário Municipal de Planejamento na gestão do prefeito Mário Covas, Secretário Estadual de Meio Ambiente, na gestão de Orestes Quércia.
“Em 1963, Wilheim participou com destaque como relator do Seminário de Habitação e Reforma Urbana, que produziu um grande número de propostas e ainda hoje são fundamentais para a reforma urbana no Brasil. Nos anos 1990, foi secretário geral adjunto da Conferência das Nações Unidas para os assentamentos humanos em Istambul, na Turquia, que estabeleceu lá os paradigmas da área do desenvolvimento urbano”, afirma Nabil.
No campo da arquitetura, Wilheim traz no currículo projetos como o Parque Anhembi, Hospital Albert Einsten, a sede da Fapesp, a sede do Clube Hebraica (1961), o TAIB – Teatro de Arte Israelita-Brasileiro (1961), o Serviço Social das Indústrias (Sesi) – Vila Leopoldina (1974), a sede da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (1975, o prédio do Jockey Clube São Paulo (1º lugar em concurso público, 1959), a Galeria Ouro Fino, o Shopping Center 3 (1961), diversas escolas profissionais para o Senac, e muitos outros.
Suas principais marcas no governo estadual foram a criação do Procon, da Fundação Seade, da EMTU, e do “Passe do Trabalhador”, hoje conhecido como vale-transporte. Foi também presidente da Emplasa, Empresa Metropolitana de Planejamento da Grande São Paulo, onde elaborou o primeiro Plano Metropolitano da macrometrópole paulista. Como Secretário de Planejamento do Município de São Paulo, criou o pioneiro passe do idoso.
Durante o Ato contra a Fusão das Fundações Estaduais de Pesquisa, Jorge Wilhem um dos criadores da Fundação Seade posicionou-se da seguinte forma à proposta do governador Geraldo Alckimin: – “A proposta do governo foi precipitada é uma forma “canhestra e atrasada” de responder “à voz das ruas”.Em alusão às manifestações populares de junho, que cobraram maior eficiência dos governos. Wilheim avaliou que se trata de uma questão política e que era necessária mobilização para que o governo recuasse.

 Fontes: Site: Nabil Bonduki/Folha de São Paulo/Deputado Carlos Neder

Deixe uma resposta