O ministro Alexandre Padilha (Saúde) aceitou convite para participar de evento que será promovido pelo Setorial Estadual de Saúde do PT. O encontro deverá ser realizado brevemente, em data ainda a ser definida, com o objetivo de debater os desafios do SUS. O deputado Carlos Neder, que coordena o setorial, convidou Padilha durante a abertura da audiência pública que o ministro promoveu na Assembleia Legislativa na quinta-feira (18) – veja texto abaixo.

“É de grande importância para o Setorial Estadual de Saúde a presença do ministro para prestigiar essa série de debates que temos promovido”, afirmou Neder. O coletivo tem produzido encontros concorridos, com o objetivo de oxigenar a militância petista e produzir propostas de políticas públicas, que serão defendidas pelo partido na disputa política e eleitoral.

O Setorial Estadual promoverá, em 18 de maio, um seminário para discutir as diferentes modalidades de gestão da saúde nas administrações petistas. O  coletivo promoveu debates com trabalhadores da saúde e movimentos populares, realizado em abril, e  com gestores petistas que atuam na área, em fevereiro.

No evento a ser programado com o ministro, Neder apresentará a ele projeto de sua autoria, em tramitação na Assembleia, que propõe o uso obrigatório do símbolo oficial do SUS em todas as unidades de saúde estaduais.

A íntegra do projeto está disponível para download na parte inferior desta página.


MINISTRO ANUNCIA RECURSOS PARA MUNICÍPIOS E ENFATIZA PARCERIAS

O ministro Alexandre Padilha (Saúde), anunciou investimento de R$ 440 milhões para o estado de São Paulo. O montante corresponde a um quarto do total de R$ 1,7 bilhão previsto para o segundo ciclo do Programa Nacional de Melhoria de Acesso da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ).

Padilha participou de audiência pública na Assembleia Legislativa paulista na qual apresentou o PMAQ ao público de aproximadamente mil pessoas, com a presença maciça de prefeitos e secretários municipais de saúde, além do secretário de saúde do estado, Giovanni Guido Cerri.

Os recursos são destinados a 583 municípios paulistas, o que corresponde a cerca de 90% das 645 cidades do estado. Essas verbas estão vinculadas à  qualidade da prestação dos serviços das equipes de atenção básica, aferida por meio de parceria com universidades locais.

De acordo com o ministro, a verba de cada município poderá dobrar se o atendimento melhorar e o usuário ficar satisfeito.  “Não haverá limite do Ministério da Saúde para ajudar uma região”, enfatiza o ministro.

O ministro anunciou também a construção de 63 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) em São Paulo e abordou a melhoria nos índices nacionais de saúde. Apontou o problema da falta de médicos, destacando as atuais políticas do ministério para incentivar a formação profissional.

Padilha pontuou ainda que o ministério atua em conjunto com os municípios para identificar  necessidades e desenvolver políticas locais. “Temos diagnóstico de cada cidade e apresentamos uma fotografia de onde podemos trabalhar juntos”, disse.

Deixe uma resposta