O deputado Carlos Neder (PT) participou, na terça-feira (13/09), de entrevista para Maria Lydia Flandoli, durante a exibição da primeira edição do Jornal da Gazeta. Na conversa, Maria Lydia questionou o parlamentar sobre os próximos passos do Partido dos Trabalhadores para o resgate da sua força política.

Neder salientou a importância política do PT, lembrando que hoje o partido possui cerca de 1,8 milhão filiados e neste momento, apesar da crise interna, continua recebendo inúmeras solicitações de novas filiações, especialmente de jovens. Para o parlamentar, a renovação do partido é obrigatória e, nesse sentido, passa não somente pela substituição de nomes ou direção, pois é preciso que se faça uma séria autocrítica sobre sua atuação e prática. “É preciso que o partido recoloque a discussão na sociedade sobre o seu papel e a relação que pretende ter com os trabalhadores e a população em geral, sobretudo com os jovens, as mulheres, os negros, que crescentemente vêm cobrando uma outra prática da esquerda”, disse.

Questionado sobre a possibilidade de o partido compor com o governo, Neder foi enfático ao manifestar sua discordância com algumas decisões políticas tomadas pela direção partidária. “Temos diferentes correntes no PT e com grau de liberdade muito grande de discordar sobre o que fazer nesta conjuntura. As mudanças no período recente,  decorreram da ida da população às ruas, da participação dos jovens e a cobrança de que houvesse um esclarecimento sobre em que circunstâncias a Dilma perdeu um madato legitimamente conquistado nas urnas e o que  se pretendo com esse novo governo que está instalado. Então soaria muito estranho nesse momento.”

Veja no vídeo a íntegra da entrevista, com duração de cerca de 10 minutos.

 

Deixe uma resposta