Reunião contará com a participação do cientista político Aldo Fornaziere e do dirigente do PT e integrante da Mensagem ao Partido Carlos Henrique Árabe

O mandato do deputado Carlos Neder realiza na próxima segunda-feira (12/09), às 19h, uma reunião ampliada do conselho político com o propósito de debater a conjuntura política nacional e o desafio das esquerdas para este período. O evento contará com a participação do secretário Nacional de Formação do PT, Carlos Henrique Árabe, e do professor da Escola de Sociologia e Política de São Paulo, Aldo Fornazieri, e ocorre no escritório político do mandado (Rua Abolição, 105 – 1° andar – bairro Bela Vista, São Paulo).

“O atual momento exige reflexão de todas e todos que se reconhecem participantes do campo de esquerda no sentido de avaliarmos as primeiras medidas anunciadas pelo governo golpista de Temer, as manifestações de massa que vêm denunciando seu caráter ilegítimo, a defesa da antecipação do calendário eleitoral de 2018 e de Diretas Já, bem como as resoluções aprovadas pelos partidos de esquerda, em especial o PT”, enumera Neder.

 

União da esquerda

Em artigo recente, publicado no final de junho no blog Luis Nassif online, Fornazieri já previa a consolidação do impeachment da presidenta Dilma Rousseff e a consumação do golpe parlamentar. “Nem o PT e nem o conjunto das forças progressistas e democráticas mostram-se capazes de resistir ao golpe. O PT e Dilma não se mostram aptos a oferecer uma saída política que possa acolher o apoio da sociedade. Consumado o impeachment, não devem pairar dúvidas para as pessoas sensatas e inteligentes acerca do aprofundamento do caráter conservador e repressivo do governo Temer. O ataque aos direitos sociais e trabalhistas se ampliará e o corte aos recursos das políticas sociais já está anunciado nas propostas da equipe econômica”, escreveu o professor no artigo intitulado O PT não terá um cheque em branco.

Crítico dos rumos que o partido tomou ao longo do tempo, Fornazieri considera que o PT precisa propor uma repactuação com a esquerda e com a sociedade, assumindo seus erros e apontando um novo caminho, uma nova conduta e prática política. ”Não basta dizer que os outros são piores do que o PT. O PT precisa dizer que será melhor e diferente do que foi até agora e essa promessa precisa vir carregada de fidedignidade”, anota o professor.

Filiado ao PT desde 1985, Carlos Árabe é economista e mestre em Ciência Política pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo (USP). É também diretor da Escola Nacional de Formação Política do PT. Participa do movimento “Muda PT” e foi um dos defensores da proposta de antecipação do calendário eleitoral de 2018, que só foi aceita pela Direção Nacional do PT depois de configurado o afastamento definitivo de Dilma da presidência da República.

12-09

Publicado em: 14 de setembro de 2016

Deixe uma resposta