Hoje saíram do Palácio do Planalto a legitimidade do voto popular e o coração da República Federativa do Brasil. Assumem provisoriamente a farsa, o golpe parlamentar e a inconformidade com um projeto de País que trabalhou para reverter o quadro de histórica exclusão social. A luta pela democracia é para sempre, como disse a presidenta Dilma. Venceremos! Segue manifesto do nosso mandato e anexamos outros que precisam ser conhecidos.

Luto e Luta!

Estamos de luto: consumou-se o golpe na madrugada do dia 12 de maio.

Cassaram o meu, o seu, o nosso voto em Dilma Rousseff, primeira mulher presidente da República. Jogaram-os no lixo, como se nada representassem. Entretanto, foram votos sinceros, ideológicos e livres – não comprados – pela continuidade do processo de enfrentamento às iniquidades sociais historicamente dadas em nosso País, pela inclusão de amplos setores no exercício pleno de sua cidadania e contra a criminalização da esquerda e dos movimentos sociais. Ganhou, momentaneamente, a articulação de grupos econômicos nacionais e internacionais interessados em apropriar-se das riquezas nacionais e reverter essa trajetória de conquistas para as classes trabalhadoras, expressas na Constituição de 1988, na organização de sistemas universais de proteção social como o SUS, o SUAS e a Previdência Social, na educação pública de caráter laico, integral e sob gestão democrática, no avanço da reforma agrária e no respeito aos direitos de livre organização e manifestação dos jovens, mulheres, LGBTT, índios, negros e amplos setores da sociedade brasileira.

Intensificaremos a luta: que a esquerda permaneça unida e não ceda à tentação de acordos com Temer.

A retomada das ações de fortalecimento da democracia direta e participativa foi o fato mais relevante nesse processo de resistência ao golpe. Demonstraram a fragilidade da democracia representativa que temos. Foi um erro não termos feitos reformas estruturais, tais como no sistema político-eleitoral, na democratização dos partidos políticos, dos parlamentos e dos meios de comunicação. Ações de rua, ocupações, uso das redes sociais e atuação da mídia alternativa mostraram-se legítimas e forte instrumento para promover a unidade em nosso campo de lutas, na elaboração de programas que atualizem nossos objetivos na conjuntura e para pensar o futuro do País. Nesse sentido, saudamos a luta dos estudantes secundaristas, daqueles que defendem a apuração de toda denúncia de mau uso dos fundos públicos, dos que defendem as universidades públicas, os institutos públicos de pesquisa e as conquistas – hoje colocadas em risco – nas áreas de ciência, tecnologia e inovação, não subordinadas aos interesses do mercado e de grupos econômicos nacionais e internacionais.

Rever a organização e democratizar o PT: ninguém é mais importante do que o projeto que construímos coletivamente.

Diante de governos de coalisão, da política de alianças e acordos partidários orientados pela governabilidade e obtenção de votos no Congresso Nacional, dos erros de condução política em conjunto com o Governo Dilma, na escolha de prioridades e adoção de medidas administrativas dissociadas da plataforma que a reelegeu – com forte apoio de sindicatos de trabalhadores, partidos de esquerda e movimentos sociais -, da concessão feita a princípios fundamentais do nosso estatuto e código de ética é preciso que tenhamos a humildade de reconhecer que graves equívocos de direção política foram cometidos e que, encerrados esse processo espúrio de 180 dias de afastamento do exercício da Presidência e as eleições municipais de 2016, devemos enfrentar essa discussão e promover mudanças que a importância histórica e o legado do Partido dos Trabalhadores exigem de cada um de nós. Vamos lutar a cada minuto para reverter o golpe, diante do luto não ficaremos em silêncio e nenhum tipo de conciliação com os golpistas.

Viva Dilma, presidenta eleita do Brasil!
Viva à nossa resistência ao golpe: dos partidos de esquerda, dos democratas, dos movimentos sociais e do povo brasileiro!
Não tem arrego, nem acordo!

 

https://www.facebook.com/DilmaRousseff/videos/1119481521438771/

Manifestoanacao_outono2016 

Deixe uma resposta