Os deputados petistas Carlos Neder e Marcos Martins estão preocupados com os rumos da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). Nesta terça-feira (12/02), eles lamentaram a ausência tanto de deputados quanto dos convidados que deveriam participar da reunião.

O ex-superintendente do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe), Latif Abrão Júnior, e um representante da Qualicorp deveriam participar da reunião para prestar esclarecimentos sobre irregularidades no instituto. É a segunda vez que o ex-dirigente do Iamspe declina do convite para participar da audiência no parlamento paulista.

Latif Abrão Júnior e a empresa Qualicorp são alvos de investigação do Ministério Público Estadual (MPE) por improbidade administrativa. O deputado Carlos Neder ressaltou a ação ajuizada pela promotora do MPE, que entende a responsabilidade do então superintendente do Iamspe, incluindo membros da diretoria e da empresa Qualicorp. A ação aponta desvio de finalidade em contratos firmados entre 2009 e 2014, o que pode ter desviado mais de R$ 400 milhões do instituto em valores não corrigidos.

Além das oitivas sobre o Iamspe, cinco itens também constavam na pauta da reunião da Comissão de Saúde para deliberação dos deputados, incluindo um novo requerimento sobre o assunto, desta vez para convocação de membros da atual superintendência e da diretoria do instituto.

Mesmo convocada em duas chamadas, uma às 14h e outra às 14h30, com período de tolerância de 15 minutos em cada convocação, a reunião não teve o número suficiente de parlamentares para ser instalada. Além de Carlos Neder e Marcos Martins, apenas outros dois deputados estiveram presentes (Gilmar Gimenes e Hélio Nishimoto, ambos do PSDB). Com 11 deputados membros efetivos e outros 11 deputados membros substitutos, a Comissão de Saúde precisa de um quórum mínimo de seis parlamentares para ser instalada.

Para o deputado Carlos Neder, a ausência tanto dos convidados quanto dos demais deputados demonstra a falta de interesse dos entes públicos em investigar irregularidades. “Há um desrespeito ao parlamento estadual, e também os próprios deputados não se dão o respeito. É uma ação conjugada do antigo com o atual governo para que nada se esclareça”, apontou Neder.

O deputado vai pedir ao Ministério Público Estadual que encaminhe à Assembleia Legislativa os documentos constantes da representação contra o Iamspe e a Qualicorp para conhecimento dos deputados e para que o Legislativo possa tomar as suas devidas providências a respeito da investigação.

 

Na imagem em destaque, o deputado Carlos Neder fala com a imprensa após a reunião da Comissão de Saúde ter sido encerrada por falta de quórum