O deputado estadual Carlos Neder (PT) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), nesta terça-feira (30), para denunciar o descompromisso do governador Geraldo Alckmin com suas próprias promessas feitas durante a campanha eleitoral de 2014, quando anunciou a duplicação de estradas estaduais, como a Rodovia SP-255, sem recorrer ao pedagiamento, mas sim utilizando recursos do tesouro estadual. Hoje, no entanto, a proposta que está em andamento é de concessão de rodovias estaduais com instalação de praças de pedágio, contrariando, além da promessa do governador, a expectativa da população que reside no entorno dos municípios cortados pelas estradas.

Como coordenador da Frente Parlamentar pela Duplicação da Rodovia SP-255 e em atenção às diferentes moções encaminhadas pelas Câmaras Municipais de cidades por onde passa a rodovia, Carlos Neder aguarda a aprovação de requerimento por ele encaminhado à Comissão de Transportes e Comunicação da Alesp para a realização de uma audiência no Parlamento Estadual ou em âmbito local, com a participação de representante do governo do Estado e, especialmente, da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). Em pronunciamento da tribuna, Neder lembrou que tal requerimento vem enfrentando, na Comissão de Transportes, uma série de pedidos de vistas por parlamentares da bancada de apoio ao governo, inviabilizando até o momento a votação do requerimento para audiência. “Claro que é uma prerrogativa do deputado pedir vistas, mas o fato é que há uma orientação, tudo indica vinda do Governo Alckmin, no sentido de não permitir a vinda da Artesp e de inviabilizar a instalação desse debate no ambiente da Assembleia Legislativa”, anotou Neder.

Segundo o parlamentar, a realização de uma audiência pública com a participação do Departamento de Estradas de Rodagem e da Artesp na Assembleia Legislativa ou em algum dos municípios cortados pela SP-255 seria importante por permitir o envolvimento de prefeitos, vereadores e lideranças locais, além da própria comunidade que mais utiliza a rodovia para seus deslocamentos entre os municípios de entorno. “Poderíamos sugerir, por exemplo, uma audiência em Barra Bonita ou Jaú, municípios que seriam diretamente beneficiados com a duplicação da estrada, mas que querem ter a oportunidade de discutir com o Executivo estadual e a agência reguladora a instalação das praças de pedágio”, salientou Neder. Ele lembrou que, apesar de existir uma consulta pública por meio eletrônico em curso, isso não é suficiente para envolver efetivamente a população nesse debate.

Conhecida como rodovia da morte, a SP-255 em quase toda sua extensão é de pista simples

Conhecida como rodovia da morte, a SP-255 em quase toda sua extensão é de pista simples

 

Leia aqui o pronunciamento na íntegra ou assista na TV Alesp.

Deixe uma resposta