Apesar do parecer contrário apresentado pelo deputado Neder, que é médico sanitarista, projeto que autoriza o combate ao mosquito da dengue via pulverização aérea foi aprovado pela Comissão de Saúde

A Comissão de Saúde aprovou nesta terça-feira (23) requerimento do deputado Carlos Neder (PT) solicitando informações técnicas à Secretaria de Estado da Saúde a respeito da pulverização aérea para combater o mosquito aedes aegypti. O parlamentar apresentou parecer contrário ao Projeto de Lei 63/2016, de autoria do deputado Igor Soares (PTN), que autoriza o Poder Executivo a efetuar a ação de combate ao inseto transmissor da dengue, zica e chikingunya via desinsetização aérea. O projeto foi aprovado na Comissão por seis votos a dois ­- com voto contrário de Neder e do deputado Marco Martins (PT) – e segue agora para votação em plenário.

Considerando que a pulverização aérea de inseticidas se daria por meio da utilização de helicópteros, drones ou aviões de pequeno porte, e que tal manobra deveria ter o acompanhamento de uma equipe técnica especializada, formada por biólogos, entomólogos, médicos e ecologistas, a preocupação do deputado Neder é garantir a segurança da população, de animais e do próprio meio ambiente. O parlamentar questiona quais os impactos que essa medida traria considerando o custo-benefício do uso de pesticidas em larga escala e pede informações para os especialistas da Secretaria da Saúde sobre a existência de estudos científicos já realizados que justifiquem a adoção de tal estratégia.

O requerimento de informações foi acolhido ​ por unanimidade na Comissão de Saúde e será encaminhado ao secretário estadual da pasta.

 

Deixe uma resposta