Dando continuidade ao ciclo de debates organizado pelo mandato do deputado Carlos Neder, ocorreu na noite do dia 24 de abril o debate sobre Direitos Humanos em São Paulo – diagnóstico e desafios.

Com forte presença de lideranças de toda a cidade, o debate mediado pelo deputado Carlos Neder contou com o deputado Adriano Diogo, a vereadora Juliana Cardoso e o Secretário Municipal de Direitos Humanos,  Rogério Sottili , todos legítimos representantes desta luta tão fundamental na cidade e no estado de São Paulo.

Rogério Sottili

Rogério Sottili apresentou o trabalho que vem desenvolvendo na cidade, a transversalidade de sua secretaria que trabalha em conjunto com todas as outras secretarias, ele falou sobre as diversas coordenadorias que consideram populações que estão fragilizadas  na cidade, os imigrantes, a população de rua, LGBT, crianças, juventude negra e periférica, mulheres, idosos e outros. A estes segundo o secretário existem cuidados especiais, programas que estão aos poucos sendo implementados, sobretudo nas periferias, onde encontra-se populações mais fragilizadas, notadamente os jovens.

Juliana Cardoso

Violência policial

A violência policial foi um tema  todas as intervenções, a vereadora Juliana Cardoso trouxe as dificuldades de trazer a discussão dos Direitos Humanos na Câmara Municipal da capital, que tem entre seus membros a “bancada da bala”, formada por vereadores que não aceitam discutir ou legislar sobre nada que questione as práticas da Policia Militar , ou Direitos Humanos.

Juliana falou ainda da tentativa de criar a Comissão da Verdade Municipal, outro item que vem enfrentando resistência na Câmara Municipal e da criminalização dos Movimentos Sociais, que são tratados com chutes e cassetetes todas as vezes que “ousam” ir às ruas exigir direitos.

Adriano Diogo

Pelo direito à memória

O deputado Adriano Diogo, presidente da Comissão Estadual da verdade trouxe a reflexão sobre a importância de continuarmos militantes e não apenas eleitores, falou ainda que o Brasil foi construído em cima de um passivo de 400 anos de escravidão negra e que nunca foi reconstituída essa história, lembrar dos assassinos, dos torturadores desta comunidade.

Adriano falou que o Brasil tem a sua história construído na cultura de morte, da morte dos negros, dos índios, dos jovens que lutavam contra a Ditadura Militar, todos que lutaram pela liberdade foram perseguidos e seus assassinos, muitas vezes são apontados nos livros escolares como heróis. “Matar negro e gays no Brasil é quase um direito!”, frisou o deputado.

Os cinquenta anos do golpe militar foi lembrado por todos, sobretudo porque deve ser contado para todas as gerações, sobretudo a verdade, daí a importância das Comissões da Verdade em todo o país, cidades e estados.

Carlos Neder, Juliana Cardoso e Rogério Sottili

O Deputado Carlos Neder reforçou que é preciso recuperar o Plano Nacional de Direitos Humanos n° 3, editado durante o governo Lula e que segundo Neder é bastante inovador e que deve ser recuperado e divulgado.

Ao final de vereadora Juliana Cardoso fez todos dançarem ao som de “Coração Civil” de Miltom Nascimento,  ela reforçou que ainda tem a utopia de um mundo melhor.

Plenário lotado

1 Comentário

  1. Não pude comparecer nesse debate com o Secretário Municipal de Direitos Humanos Rogério Sottili, porém tive a oportunidade de participar do I Seminário de Educação em Direitos Humanos reunindo educadores, estudantes e entidade.
    E ocasionalmente, ou não, com relação as fotos que estão sendo postadas no facebook e outros sites essa semana com relação a casca de banana sendo jogada num jogador, uma das melhores reflexões que li sobre essa bananada toda. “Alguns comentaristas acharam a tag ‪#‎somostodosmacacos‬ racista e negativa. Eu tenderia a achá-la boba, além de oportunista – se ficasse no universo dos jogadores e de seus fãs-celebridade. Parece coisa de, err, publicitário. Mas o “roubo” da doença social do racismo no futebol por um playboy amoral e oportunista [eka Luciano Huck] transforma a coisa toda não só em um escândalo, como em um foco de vergonha alheia lancinante.”
    https://br.noticias.yahoo.com/blogs/alex-antunes/os-bananas-e-o-coxinha-135849449.html

Deixe uma resposta