Os ataques que a oposição e a mídia conservadora vêm fazendo à presidenta Dilma, ao governo federal  e ao ex-ministro Padilha tem clara conotação eleitoral. Procuram negar as conquistas alcançadas pelas trabalhadoras e os trabalhadores nesses 12 anos em que o PT e os partidos aliados governam o Brasil e impedir que elas se consolidem. Demonstram que não têm compromissos com os setores sociais beneficiados em nossos governos.
Os partidos de oposição, como PSDB, DEM, PPS e PV, deixam de lado o debate programático, partem para ataques pessoais a lideranças do PT e tentam evitar que São Paulo tenha um governo de novo tipo, em que a estagnação econômica, a falta de planejamento, o abandono dos municípios, a insegurança, a má-qualidade das estradas, dos transportes, da educação e da saúde pública sejam superados por nós, em sintonia com as políticas inovadoras adotadas nos governos de Lula e Dilma.
O momento exige que todas as lideranças dos partidos aliados ao projeto político de transformação da sociedade brasileira se manifestem em defesa das conquistas sociais, contra tentativas de golpe, para demonstrar indignação com essa prática de difamação que desqualifica a política e exigir que toda denúncia seja devidamente fundamentada, para que possa ser apurada com rigor e respeito ao direito de defesa dos acusados.
O uso ostensivo da mídia conservadora e da máquina pública estadual para esse intento não pode ficar sem resposta. É legítimo e necessário que nossos governos reajam, que ministros, secretários, parlamentares e lideranças sociais reajam e falem das conquistas que estão sendo colocadas em risco. Chega de apanhar calados! O povo vai reagir! Mexeu com nossos companheiros, mexeu conosco!

Deixe uma resposta