Carlos Neder, deputado estadual pelo Partido dos Trabalhadores (PT)

Carlos Neder é médico formado pela Universidade de São Paulo (USP) e mestre em Saúde Pública pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Atua em movimentos populares desde os anos 1970. Foi secretário municipal de Saúde durante a gestão de Luiza Erundina na Prefeitura de São Paulo (1990-1992) e vereador na capital paulista por quatro mandatos. Atualmente exerce o mandato de deputado estadual pelo Partido dos Trabalhadores (PT) na Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP).

Tanto na Assembleia quanto na Câmara, Neder sempre atuou como fiscalizador do Executivo.

No PT, partido que ajudou a fundar, é hoje um dos integrantes que se posiciona mais à esquerda do partido. Neder defende a necessidade de uma profunda renovação do PT, incluindo a construção de um projeto político e conteúdo programático com atenção os novos desafios impostos à esquerda no Brasil e no mundo.

Deputado estadual eleito para a legislatura de 2015-2018, na Assembleia Neder é hoje membro efetivo das comissões de Ciência, Tecnologia, Inovação e Informação; de Saúde; e vice-presidente da Comissão de Assuntos Metropolitanos e Municipais, participando ativamente das discussões sobre tais temas. O deputado é ainda coordenador da Frente Parlamentar em Defesa das Universidades Públicas no Estado de São Paulo; da Frente em Defesa dos Institutos de Pesquisa e Fundações Públicas; e da Frente pela Duplicação da Rodovia SP-255.

Atualmente também é membro da CPI dos Planos de Saúde, para a qual foi designado vice-presidente.

É autor de leis que instituem fóruns de saúde, como o Fórum Suprapartidário em Defesa do SUS e da Seguridade Social (criado pelo mandato mediante a Resolução n.º 845/05 da Alesp). Também é de sua autoria a lei que institui o Quesito Cor nos bancos de dados ligados ao governo estadual – uma antiga reivindicação do movimento social contra o racismo.

Na Câmara Municipal, apresentou inúmeros projetos que resultaram na aprovação de mais de 60 leis. Entre as proposições aprovadas estão a do Banco do Povo (crédito para pequenos empreendedores); Educomunicação (rádio nas escolas); de Prevenção de Violência nas Escolas; de criação dos Conselhos Gestores do SUS; dos parques e dos CEUs (participação da comunidade nas ações públicas), entre outras leis na área de saúde, como as que instituíram os programas de saúde auditiva e de anemia falciforme.