Mobilização será também em apoio aos professores do Paraná, Pará, Pernambuco, Santa Catarina e de outros estados
Por CUT-SP
Por educação pública e de qualidade em São Paulo, os professores paulistas cruzaram os braços desde o dia 13 de março. Protestos em frente ao Palácio dos Bandeirantes e diante da Secretaria Estadual de Educação, além de audiências públicas na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) e câmaras municipais, marcaram a greve que, até o momento, teve como proposta do governo Alckmin (PSDB) reajuste zero, sem retorno a outras demandas da categoria.

É neste contexto que movimentos sociais, o conjunto do funcionalismo, sindicatos e federações cutistas se somarão ao ato em solidariedade aos professores em greve em todo estado de São Paulo. A atividade ocorrerá no dia 7 de maio, às 13h30, na Praça da Sé.
O protesto tem como bandeira o desrespeito promovido pelo governo estadual e parcela da mídia tradicional, que tratam a paralisação como ação isolada. Alckmin não aceita oferecer reajuste salarial de 75,33% e melhores condições de trabalho, com o fim das salas superlotadas.
“Nossa corrente de luta está cada vez mais fortalecida. A situação só será resolvida quando o governo apresentar uma solução que melhore a educação e valorize de fato os trabalhadores. Queremos o diálogo, não a truculência. Essa greve não interessa a ninguém, afinal, os mais prejudicados são os alunos”, afirma o professore e vice-presidente da CUT São Paulo, Douglas Izzo.
A mobilização será também em apoio aos professores do Paraná, Pará, Pernambuco, Santa Catarina e de outros estados brasileiros que estão em greve. Logo após o ato, haverá uma audiência de conciliação, às 15h, no Palácio da Justiça, Praça da Sé s/nº, no gabinete da vice-presidência, 5º andar, sala nº 508, no centro de São Paulo.

Ato em solidariedade aos professores em greve em SP
Quando: 7 de maio, às 13h30
Local: Praça da Sé, centro de São Paulo.

Deixe uma resposta