Promulgada pelo prefeito Fernando Haddad, entrou em vigor no dia 23 de dezembro de 2013 a lei 15.943/2013 de autoria do deputado Carlos Neder e da vereadora Juliana Cardoso que dispõe de diagnóstico de gestantes portadoras do vírus HIV e prevenção da transmissão do mesmo aos fetos e crianças recém-nascidas.
A aprovação deste projeto 16 anos depois, demonstra a sensibilidade da administração do prefeito Fernando Haddad que, compactua, ao lado dos autores da lei, do respeito aos cidadãos mais fragilizados desta cidade, em particular as mulheres e as crianças.
Conheça mais:

PUBLICADO DOC 24/12/2013, p. 3 c. 1

LEI Nº 15.943, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2013
(Projeto de Lei nº 439/97, dos Vereadores Carlos Neder – PT e Juliana Cardoso – PT)
Dispõe sobre o diagnóstico de gestantes portadoras do vírus HIV e prevenção da transmissão do mesmo aos fetos e crianças recém-nascidas.
FERNANDO HADDAD, Prefeito do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei, faz saber que a Câmara Municipal, em sessão de 27 de novembro de 2013, decretou e eu promulgo a seguinte lei:
Art. 1º É garantido pelo Executivo a toda gestante, por ocasião do acompanhamento pré-natal:
I – a realização do teste sorológico anti-HIV;
II – o aconselhamento pré e pós-teste, compreendendo:
a) informações sobre o acompanhamento médico e a importância de sua realização;
b) o significado da soropositividade do ponto de vista individual e social;
c) as vantagens de assistência durante a gestação e o parto;
III – a atenção clínica, extensiva aos recém-nascidos, no caso de soropositividade,
inclusive com fornecimento de medicamentos antirretrovirais e outros necessários.
§ 1º O teste tratado pelo inciso I deste artigo somente será realizado com anuência
da gestante, e após ter-lhe sido prestado o aconselhamento necessário na forma do
inciso II supra.
§ 2º No caso da gestante não ter sido submetida à sorologia anti-HIV por ocasião do acompanhamento pré-natal será garantida a realização da mesma à parturiente, durante a permanência na maternidade, resguardado o que reza o § 1º deste artigo.
Art. 2º Toda criança lactente, cuja mãe possua diagnóstico positivo de teste sorológico anti-HIV, tem direito a receber da rede de saúde pública do Município o leite, em quantidade necessária à sua sobrevivência, desde o nascimento até a idade de dois anos completos.
Art. 3º (VETADO)
Art. 4º O Poder Executivo regulamentará esta lei no prazo de 30 (trinta) dias contados de sua publicação.
Art. 5º As despesas decorrentes da aplicação desta lei correrão por conta de dotações orçamentárias próprias, suplementadas se necessário.
Art. 6º Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.
PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, aos 23 de dezembro de 2013, 460º da fundação de São Paulo.
FERNANDO HADDAD, PREFEITO
ROBERTO NAMI GARIBE FILHO, Respondendo pelo cargo de Secretário do Governo Municipal
Publicada na Secretaria do Governo Municipal, em 23 de dezembro de 2013.

Deixe uma resposta