Texto reproduzido do site do PT ALESP

Reportagem da Rede Record em 14/2/2011 – “Multinacionais estariam envolvidas em esquema de propina” – é prova de que o governador Geraldo Alckmin foi omisso em não apurar as denúncias das fraudes. Isto porque, ele teve conhecimento do caso há pelo menos dois anos e meio atrás, diferentemente do que tem falado nas últimas semanas.

Na parte final da reportagem, questionado pelo repórter sobre a denúncia, o governador Alckmin afirmou: “Eu não vi essa matéria , não li em nenhum lugar. Vou procurar me informar”.

A matéria aponta que a alemã Siemens e a francesa Alstom, empresas que venceram licitações públicas para realizar as obras do metrô paulistano, são suspeitas do pagamento de propinas e favorecimento em esquemas que envolvem offshores sediados no Uruguai e a CPTM paulistana.

Clique aqui para assistir ao vídeo da reportagem.

2 Comentários

  1. CPI do Metrô e Trem/CPTM JÁ. Isso é muito grave, isso é crime, está em jogo o NOSSO DINHEIRO. Não pode passar em branco, Cadê a aplicação do Art. 37? A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência e, também, ao seguinte: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19, de 1998)

  2. Acredito que se houver essa abertura de CPI do Metrô e Trens da CPTM, vai encontrar muita sujeira debaixo desse tapete. Tanto que vai envolver não somente Governador do Estado, além das empresas, mas outras pessoas que nem imaginamos. A coisa é mais complicada do que se pensa!

Deixe uma resposta