POR Luiza Erundina de Sousa*

Hoje lembramos, mais uma vez, uma das datas mais importantes de nosso calendário: o Dia do Professor. Recorro, incialmente, ao mestre Paulo Freire, Patrono da Educação Brasileira, que escreveu, em sua Terceira Carta Pedagógica: “Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda” Faço essa menção a Paulo Freire e não é à toa.

Temos visto crescer uma onda obscurantista que pretende sequestrar a Educação com o fim de tolher o pensamento crítico, fazendo com que estudantes tornem-se pessoas incapazes de questionar a realidade em que estão inseridos, sempre em benefício daqueles que detém privilégios e que desejam mantê-los a todo custo. Grupos conservadores e reacionários da nossa sociedade, do tipo “Escola sem Partido”, alimentados pelo ódio e pela intolerância, tentam revogar o título de Patrono da Educação Brasileira conferido a Paulo Freire, por meio de uma lei de minha autoria.

A iniciativa, de natureza autoritária, é uma absurda agressão a Paulo Freire, um dos brasileiros mais aclamados e respeitados no mundo. Nesse contexto, professoras e professores são um alvo preferencial; querem constrangê-los e fazê-los aderir a uma ideologia totalitária, assemelhada ao fascismo, que pretende de todas as formas impedir o pensamento plural e impor uma única ideologia. Querem exilar Paulo Freire outra vez.

Quando tentam revogar o título de Paulo Freire, atentam contra a figura dos professores; aqueles que marcam nossas vidas, seja nos primeiros anos, em nossa alfabetização, ou aqueles que nos ensinam uma profissão, ou que nos influenciam nessa decisão. Professores fazem parte da nossa história, do nosso desenvolvimento e da construção da nossa consciência crítica. Recorrendo a Paulo Freire, mais uma vez, ele dizia que ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção; educar é impregnar de sentido o que fazemos a cada instante. É uma elevada responsabilidade elevada.

Além de homenagearmos nossos professores e professoras, queremos agradecer-lhes pelos relevantes serviços prestados a Educação em nosso país. Lamentavelmente, nossos governantes não reconhecem o magistério como uma atividade estratégica para a construção da nação brasileira.

 

(*) Luiza Erundina de Sousa é uma assistente social e política brasileira. Eleita como Deputada Federal pelo estado de São Paulo. Atualmente é filiada ao PSOL. Ganhou notoriedade nacional quando foi eleita a primeira prefeita representando um partido de esquerda em São Paulo, em 1988

(**) Texto e foto publicados originalmente na página do Facebook da autora.